Bem-vindo ao fórum das grandes máquinas.Boas transalpadas!

Test Drive à nova Transalp de 18/11/2007, por Rui Pessoa

Compartilhe

Joao Pontes Pereira
Mota ligada
Mota ligada

Número de Mensagens : 75
Masculino
Idade : 53
Data de inscrição : 26/07/2008

A Mota
Marca Mota: Honda
Modelo Mota/ano: XL 600V Transalp
Kms:

Test Drive à nova Transalp de 18/11/2007, por Rui Pessoa

Mensagem  Joao Pontes Pereira em Seg 28 Jul 2008, 23:16




Caros Companheiros,

Como o Fórum do GAPE só está acessível através de registo, deixo aqui o que foi escrito por um GAPEista a próposito de um test drive à nova Transalp, em 18 de Novembro de 2007, pelo Amigo Rui Pessoa, um Motard amigo e experiente, presidente do Clube Motorismo TAP (que possui uma Varadero). Sei que ele não me leva a mal. Foi este texto que me fez olhar pela primeira vez com gosto para a TA e, se calhar, é devido a ele que a experimentei e hoje tenho uma, mais antiga é certo, mas com muitos dos mesmos predicados Very Happy .

Sei que este texto é certamente do conhecimento de muitos, mas não será de outros. Aos que já o conhecem, as minhas desculpas.

...

"Pois é amigos/as, já fiz o Test-Drive à moto em questão, gostei e fiquei bastante surpreendido.

Apesar não estar a pensar vir a adquirir uma moto destas, acho sempre positivo poder fazer um Test-Drive a uma moto, tal como fiz a uns tempos a trás à MP3 da Piaggio.

Deixo então aqui o meus testemunho sobre a moto.

MOTOR:

Desde início, a Transalp surpreendeu o Mundo pela aposta num compacto, suave e potente motor bicilíndrico em V com refrigeração líquida e três válvulas por cilindro. Um motor que depressa ganhou muitos entusiastas dada a sua enorme versatilidade e comprovada fiabilidade. Inicialmente surgiu na Transalp em 1987 com 583 cc de capacidade tornando-se um dos mais robustos da sua classe, e sendo apenas no ano 2000 alvo de uma maior modificação de registo, com a cilindrada a subir até aos 647 cc o que significou um notável aumento do binário e disponibilidade a baixo e médio regime.

Agora, na sua terceira geração, a Transalp recorre à versão mais recente deste mesmo motor bicilíndrico, recentemente estreado na nova Deauville (no ano 2006). Um motor com mais cilindrada, injecção de combustível, quatro válvulas por cilindro e muitos novos componentes internos que lhe potenciam as prestações e dinamismo

Mais Cilindrada
O novo motor da Transalp utiliza pistões com mais 2 mm de diâmetro (passaram de 79 a 81 mm) o que origina um aumento de 33 cc da cilindrada, passando de 647 cc para 680 cc. Os novos pistões junto com as novas bielas mais leves e resistentes, permitem que o motor seja capaz de ganhar rotação com maior vivacidade e rapidez, além de uma resposta mais elástica e sentida.

Novas Culassas de 4 Válvulas
O novo V-Twin da Transalp conta com novas culassas agora com 4 válvulas e diferentes condutas de admissão e escape. Estas alterações permitem ganhos sentidos na suavidade da resposta, num fluxo termodinâmico mais eficaz a nível da admissão e escape das próprias câmaras de combustão, pois realizam um enchimento mais completo e rápido de todo o seu volume. Com as duas velas por cilindro reposicionadas mais ao centro de cada culassa, a explosão é total assim como uma difusão mais completa no interior da câmara de combustão e topo dos êmbolos. A taxa de compressão foi aumentada de 9.2:1 para 10.0:1 graças às culassas mais compactas, o que contribuiu também para o superior débito de potência e prestações globais.

Novo Sistema de Injecção de Ccombustível PGM-FI
Tal como todas as Honda de estrada para 2008, a nova Transalp utiliza também o comprovado sistema de injecção electrónica de combustível PGM-FI que origina um arranque mais fácil e imediato, uma resposta mais suave e mais cheia, bem como o cumprimento das mais rígidas normas ambientais que regulam as emissões de gases.

O sistema utiliza dois corpos injectores de Ø40 mm integrados numa única unidade, cada um com 12 orifícios injectores que optimizam a atomização da mistura a admitir nos cilindros, resultando daí mais potência e binário em baixo regime, um controle mais preciso do acelerador, uma entrega mais estável a alta rotação e uma subida mais linear. Além disso, o sistema PGM-FI contribui também para uma importante redução de cerca de 7% no consumo de combustível em todas as situações de uso da moto.

Reduzidas Emissões
Também como todas as restantes Honda equipadas com este sistema de injecção, o motor da Transalp é capaz de apresentar valores de emissões poluentes abaixo dos níveis regulados pela norma EURO-3. Tal deve-se ao uso do sistema catalizador de gases e sensor de oxigénio HECS3 com as suas 300 células no elemento principal colocado na panela primária, posicionada junto ao ponto de fixação do braço oscilante.

O sistema no seu conjunto minimiza eficazmente as emissões de Dióxido de Carbono (CO), Hidrocarbonetos (HC) e Óxido Nitroso (NOx) mantendo elevadas as prestações conseguidas

Minha Opinião:
Pois bem em relação ao motor a minha opinião é muito positiva, sentindo-se uma disponibilidade bastante linear de entrega de potência, um puxar muito agradável e divertido, que não se sentia no antigo modelo, inclusive com recuperações fantásticas.

CICLÍSTICA:

A Transalp de 2008 assenta a sua concepção, e no essencial, no mesmo tipo de estrutura utilizada desde a versão lançada no ano 2000. Trata-se de um quadro tipo dupla trave em tubos de aço de secção quadrada em que o motor é incorporado como parte de esforço da estrutura, garantindo assim um notável resultado em termos de equilíbrio dinâmico, reduzido peso e superior rigidez, o que optimiza as prestações globais da moto e garante uma comportamento mais suave e sem esforço de condução. O aumento em 10 mm da distância entre eixos, incute uma pequena mas significante contribuição para a estabilidade da Transalp a alta velocidade, especialmente quando se circule com passageiro e bagagens a bordo.

As suspensões são equivalentes ao modelo anterior. À frente uma forquilha telescópica com bainhas de Ø41mm que mantém as afinações embora agora surja sem os foles de protecção antes utilizados. Atrás o suave e progressivo sistema mono-amortecedor Pro-Link que assegura um comportamento mais eficaz e confiante do conjunto nas mais variadas superfícies, seja a solo ou com companhia a bordo

Roda Dianteira mais Pequena de 19’’
A nova Transalp utiliza agora na frente, uma roda de menor diâmetro que a versão anterior. Com 19 polegadas, o aro em alumínio está equipado com um pneu de dimensão 100/90, garantindo um melhor e mais imediato controle da direcção, com resultado numa condução mais fácil dentro da cidade e num comportamento mais suave a alta velocidade. Atrás, é utilizado um novo pneu radial com dimensão 130/90 que substitui o convencional modelo anterior e que garante maior prazer e segurança de condução especialmente nas curvas descritas a alta velocidade.

Minha Opinião:
Quanto à ciclistica, melhorou drasticamente em relação ao modelo anterior, sendo muito mais estável a qualquer velocidade, deixando de existir quase os balouços que se sentiam no antigo modelo quando a velocidades elevadas, e em circuito sinuoso uma maior estabilidade de todo o conjunto.
Com esta melhoria, deixa de ser uma moto mais polivalente (alcatrão/terra), para se tornar numa melhor estradita



SISTEMA DE TRAVAGEM :

Na versão standard, a nova Transalp oferece uma superior capacidade de travagem assente no sistema de três discos de travão que a equipa. À frente um par com Ø256 mm, accionado por pinças de dois êmbolos mais leves e pinças de material sinterizado. Atrás um rotor de Ø240 mm accionado por uma compacta pinça de um êmbolo, convergindo ambos para uma confiante e potente capacidade de travagem que a coloca no bem no topo da sua classe neste parâmetro.


Versão com Travagem Combinada e ABS
A nova Transalp tem também disponível por opção uma versão equipada com sistema de travagem Combinada e ABS que recorre aos actuais e avançados sistemas utilizados pela Honda nos seus modelos de estrada. O sistema de travagem Combinada assegura uma desaceleração mais suave e progressiva em qualquer situação de travagem e quando combinado com a travagem ABS, atinge sem dúvida um nível de segurança inigualável.

Visualmente a única diferença entre a versão standard e a versão equipada com o sistema Combinado-ABS, reside nas pinças de três êmbolos montadas no conjunto dianteiro nesta última. No lado direito da roda, surge ainda um pequeno anel que emite informação ao sistema anti-bloqueio da roda para que este exerça a sua função.

O sistema de travagem combinada e ABS, funciona na Transalp do mesmo modo que noutros modelos Honda. Quando a travagem é realizada sob superfícies deslizantes, o sistema de grande sensibilidade actua instantaneamente ao movimento relativo de ambas as rodas, evitando o seu bloqueamento. Com um controle preciso, o sistema mantém a necessária pressão de travagem até que a desaceleração seja suficiente para se controlar a moto e termine o piso deslizante.

O sistema combinado liga a acção de travagem no conjunto traseiro, ao conjunto dianteiro. Sempre que é accionado o pedal de travão traseiro, é ao mesmo tempo accionado o êmbolo central da pinça direita dianteira, proporcionando uma distribuição da força de travagem mais equilibrada em ambos os conjuntos, o que se traduz em mais segurança e eficácia. Os restantes cinco êmbolos das duas pinças dianteiras, são accionados de forma convencional através da manete de travão dianteiro colocada no guiador, proporcionando uma travagem potente e de igual modo segura.

No fundo, o sistema de travagem combinada e ABS, garante a todos os condutores, seja qual for o seu nível de experiência de condução, uma travagem confiante e mais segura, tornando a utilização da Transalp um prazer inolvidável em todas as situações.

Minha Opinião:
A nível de travagem também achei muito superior ao modelo anterior, onde o menor afundamento da suspensão tem uma importante relação.
A adopção do ABS/TCS veio enriquecer muito este modelo (Nota: Existem dois modelos, com e sem ABS)

ESTILO:

A nova XL 700V abre um novo capítulo no estilo e na distinção. As novas linhas do conjunto, reflectem uma filosofia sempre dinâmica e aventureira, através das carenagens mais estreitas e compactas, com linhas mais agressivas e angulares em todos os elementos que a compõem. Um desenho que transmite agilidade, juventude, qualidade. Um desenho moldado com inspiração nos mais puros, elegantes e bravos cavalos desportivos.

Toda a secção dianteira é de facto mais compacta, apresentando uma nova gestão aerodinâmica que se traduz sobretudo numa superior protecção frontal da cabeça e ombros do condutor. Contudo, as novas pequenas entradas de ar frontais, colocadas por baixo do ecrã, demonstraram nos testes em túnel de vento, serem ideais para transmitir ao condutor um ligeiro fluxo aerodinâmico, eliminando a pressão que se cria em seu torno e tornando a viagem mais agradável sobretudo a alta velocidade. O novo sistema de entradas, origina uma condução mais ágil e imediata. Por detrás do ecrã transparente, um novo painel de instrumentos de formato compacto com taquímetro analógico e mostrador digital, reforça o estilo moderno e futurista deste modelo, tornando a condução mais simples. O mostrador de cristais líquidos inclui informação da velocidade, quilometragem percorrida, relógio, e indicador de nível de combustível.

O depósito de gasolina, parte integrante do desenho fluido de todo o conjunto, foi reduzido na capacidade máxima em relação ao modelo anterior (passou de 19 para 17,5 litros) mas a grande melhoria na redução dos consumos do motor, fazem com que a autonomia tenha aumentado.

ÓPTICA DUPLA MULTI-REFLECTORA

Marcante e distinta é sem dúvida a óptica dianteira multi-reflectora de duas lâmpadas sobrepostas. De formato oval e elevada qualidade, o conjunto é capaz de oferecer uma notável capacidade de iluminação para uma condução nocturna intensa e mais segura. Este formato de óptica permite também aumentar bastante a durabilidade das lâmpadas de halogéneo uma vez que estas são de filamento único, resistindo melhor ao calor por elas produzido no interior do conjunto.


GRAFISMO DE INSPIRAÇÃO GPS

Os grafismos que envolvem o logotipo Transalp colocado nas curvilíneas tampas laterais dianteiras, foram inspirados pelos actuais aparelhos de alta tecnologia para navegação por satélite (GPS), facto que acentua a filosofia aventureira deste modelo. A posição dos números correspondem ao pico mais alto da Europa, com estrada e acessível de moto, situada em Col de la Bonette, a sul dos Alpes franceses.

O estreito mas ergonómico e super-confortável assento da Transalp, oferece-lhe o melhor para cruzar longas distâncias, combinado com uma relativa curta distância ao solo que coloca à vontade a maioria dos condutores. Na linha do assento está a nova grelha para suporte de bagagens traseira, em resina moldada, que envolve também a nova óptica traseira integrada e garante ao passageiro o melhor ponto para fixação das mãos.

O desenho curvilíneo da Transalp estende-se de igual modo à protecção de cárter em plástico, melhor integrada nas restantes carenagens, tornando mais eficaz a protecção do motor e sistema de escape.

Há 20 anos atrás, a Transalp inaugurou um novo conceito de moto trail de diferentes capacidades globais. Versátil, equilibrada, fácil de conduzir, eficaz em todas as situações e muito fiável, a Transalp liderou uma geração e impôs a regra. Agora, numa nova reconfiguração do seu conceito, a Transalp de 2008 surge equipada com um motor mais potente, o que significa um avultado aumento da sua capacidade dinâmica, um estilo moderno, mais conforto e melhor comportamento graças em muito à nova roda dianteira de 19’’. Uma nova moto para um novo olhar sobre a aventura – a do dia-a-dia ou dos longos trajectos…


CONCLUSÃO:

Gostos não se discutem, mas a moto está mais actual, apesar na minha opinião perdeu um pouco o conceito turistico que tinha, para ficar com uma aspecto mais urbano.
A nivel de condução e como já referi, impressionou-me a vitalidade de todo o conjunto, com um motor pronto e espontâneo, sempre disponível, a nível da ciclistica muito divertida e segura.

Pontos Positivos:
-Motor
-Recuperações
-Ciclistica
-Ponteira de Escape
-Informação a nível de manómetros
-Conforto
-Cores
-Estilo

Pontos Negativos
-Protecção aeródinamica
-Optica frontal
-Catalizador demasiado exposto


... "

In Fórum GAPE, 18 de Novembro de 2007
Autor: Rui Pessoa

Não copio as fotos tiradas pelo autor, com excepção de uma, para não estar a "abusar" e por todos a conhecerem.


=================================================================================================================

João Pontes Pereira (JPP)
GAPE
Honda ST 1100 Pan European '97 Preta
Honda XL 600V Transalp '96 Azul
avatar
TrAnsAlper
Admin
Admin

Número de Mensagens : 8308
Masculino
Idade : 45
Data de inscrição : 11/09/2007

A Mota
Marca Mota: Honda
Modelo Mota/ano: Ex-TrAnsAlp XL 650 V
Kms: 63.000

Re: Test Drive à nova Transalp de 18/11/2007, por Rui Pessoa

Mensagem  TrAnsAlper em Ter 29 Jul 2008, 08:57

Ora aqui está!
João Pereira,obrigado por postares este tópico aqui.Alguns de nós já o conhecia,pois na altura em que este teste foi feito a curiosidade em conhecer pormenores deste modelo era mais que muita,e devoráva-mos toda a informação que surgia.Este tópico no fórum GAPE veio satisfazer a nossa curiosidade.
Não faz mal nenhum não ter as fotos,o texto é o mais importante e diga-se de passagem que está muito bem relatado este test-drive.
Aproveito para felicitar o Rui Pessoa e te agradecer mais uma vez o facto de partilharem aqui.

Excelente!
Um abraço e boas transalpadas.


=================================================================================================================

   Ondavis-Viseu
"Não sei para onde vou mas estou a caminho!"
avatar
Transouto
O Pai do Forum
O Pai do Forum

Número de Mensagens : 5386
Masculino
Idade : 41
Data de inscrição : 11/09/2007

A Mota
Marca Mota: Honda
Modelo Mota/ano: Transalp XL 650 V/2006 /Africa twin 2016
Kms: 32 000 km(+ 100 000km) /17 000km

Re: Test Drive à nova Transalp de 18/11/2007, por Rui Pessoa

Mensagem  Transouto em Ter 29 Jul 2008, 17:19

cheers cheers cheers

..embora já conhecido, é sempre bom relembrar as quailidaes da nossa máquina, que é a Transalp, seja ela que modelo fôr... cheers cheers

V


=================================================================================================================

Transalp é Transalp e mai nada..

Joao Pontes Pereira
Mota ligada
Mota ligada

Número de Mensagens : 75
Masculino
Idade : 53
Data de inscrição : 26/07/2008

A Mota
Marca Mota: Honda
Modelo Mota/ano: XL 600V Transalp
Kms:

Re: Test Drive à nova Transalp de 18/11/2007, por Rui Pessoa

Mensagem  Joao Pontes Pereira em Qua 30 Jul 2008, 00:04

Confeso que uma das coisas que estou a apreciar mais são as suspensões e a estabilidade do conjunto Very Happy (e claro, é uma mota linda).

Abraços


=================================================================================================================

João Pontes Pereira (JPP)
GAPE
Honda ST 1100 Pan European '97 Preta
Honda XL 600V Transalp '96 Azul

Conteúdo patrocinado

Re: Test Drive à nova Transalp de 18/11/2007, por Rui Pessoa

Mensagem  Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Sab 17 Nov 2018, 23:50